Home Destaque Servidor de Urussanga é indiciado por embriaguez e uso de veículo público...

Servidor de Urussanga é indiciado por embriaguez e uso de veículo público para ir ao motel

A Polícia Civil de Urussanga concluiu inquérito instaurado após denúncia de que um servidor público estaria dirigindo embriagado veículo municipal. Na investigação, foi identificado um motel entre os locais que o funcionário esteve com o carro público, de acordo com informações repassadas pela Polícia Civil.

Trata-se do ex-vereador e presidente do Samae de Urussanga à época dos fatos. Ele foi exonerado pelo prefeito em exercício, Jair Nandi, do PSD.

- Advertisement -

De acordo com o delegado Ulisses Gabriel, foram realizadas diligências investigativas, relatórios após análise e controle de ponto e do GPS do veículo pertencente ao Samae, além de ouvidas 12 testemunhas.

“Estranhamente, uma das testemunhas, vereador, pediu para não ser compromissado a falar a verdade em seu depoimento para, segundo ele, não acabar prejudicando o investigado. Diante disso se verificará se ocorreu possível crime de fraude processual”, informa o delegado.

A investigação foi realizada também pelo delegado Márcio Campos Neves. De acordo com os delegados, foi identificado o uso do veículo para fins particulares em quatro oportunidades nos meses de junho e julho.

“No dia 28 de junho esteve em um bar com o veículo público. No dia 5 de julho ficou parado às margens da rodovia SC-108 (entre Cocal e Criciúma) e também foi no mesmo bar onde esteve dia 28 de junho. No dia 12 de julho o veículo, que estava na posse do investigado, esteve em um motel, ficando aproximadamente uma hora no local”, relatam os delegados.

A pena do peculato é de dois a 12 anos de reclusão e multa. A pena de dirigir veículo automotor sob efeito de álcool é de seis meses a três anos de detenção, multa e suspensão ou proibição de se obter a permissão ou a habilitação para dirigir veículo automotor.

O inquérito foi enviado ao Ministério Público de Urussanga.

Fonte: Sul In Foco

Por: Deivis W. Fernandes / RCNoticia

- Anúncio -