Pitbull resgatado em rinha de cães em São Paulo chegou a urinar sangue

16

Um dos cachorros da raça pitbull resgatado de uma “rinha” de cães, em Mairiporã (SP), chegou a urinar sangue, de acordo com o delegado o delegado Matheus Laiola, da Delegacia de Proteção ao Meio Ambiente no Paraná. Ao todo, 41 pessoas foram presas em flagrante e 19 animais foram salvos no último final de semana. Hoje pela manhã 40 pessoas foram soltas.

A investigação começou após uma denúncia anônima contra um treinador e um cuidador de pitbulls em Curitiba e São José dos Pinhais (PR). Os investigadores passaram a então o monitorar e o seguiram no último sábado até uma área rural no município paulista. Lá, encontraram dois cachorros “duelando” (veja o vídeo).

- Anúncio -

Com ajuda da polícia de São Paulo, os agentes obrigaram um norte-americano a separar os dois cachorros. Além dele, foram presos um mexicano e um peruano. Seis dos presos chegaram a fugir, mas a polícia conseguiu capturar eles após os acusados retornarem ao local do crime. Entre os detidos, estão um veterinário e um policial militar.

Ainda segundo Loiola, a organização criminosa era Internacional e o último duelo ocorreu na República Dominicana. “Todos eles são financeiramente bem sucedidos. Todos sabiam o que estavam fazendo”, relata. Todos estão presos e passarão por audiência de custódia ainda nesta segunda-feira (16/12). Eles vão responder por associação criminosa, maus-tratos contra animais com agravante de morte e jogo de azar.

Policiais se emocionaram 

Loiola também relata que eram 100 policiais envolvidos na ação e, no máximo, 20% não se emocionaram com as cenas. “Cena muito chocante. Cenas De terror. Eu com 13 anos nunca tinha visto. Tinha cachorro machucado. Os cachorros mortos eram assados para serem comidos. Totalmente de terror”, desabafa.

“Parecia um ritual macabro. A médica veterinária chegou perto e viu que era cachorro. Tinha garfo e faca. Era para eles se alimentarem. A revolta era geral.”

O delegado também diz que os pitbulls eram treinados em esteiras e com natação. Eles passavam fome e sede, de acordo com ele. A boa notícia, no entanto, é que nenhum dos animais recuperados precisaram ser sacrificados. Eles receberam socorro de veterinários no local. Mas dificilmente conseguirão voltar a conviver com outros cachorros.

Fonte: G1

Por: Deivis W. Fernandes / RCNoticia