Paciente com tumor intracraniano realiza microcirurgia acordado em Criciúma

814

Sem saber o motivo, Leonardo começou a acordar pela manhã no chão da cama. A situação não era frequente, mas aquilo lhe causava estranheza. Certo dia, algo que nunca havia acontecido, chamou a atenção dos amigos que lhe trouxeram para a emergência, após sofrer um desmaio e ficar inconsciente. “Eu lembro que tudo ficou escuro e depois não lembro mais nada. Um amigo me trouxe ao hospital e foi ai que os médicos começaram a investigar meu problema”, comenta o técnico em climatização.

Após diversos exames e tomografia, os médicos especialistas diagnosticaram o paciente com um tumor no cérebro de difícil acesso; o problema indicava que o paciente precisaria então, passar por cirurgia para retirada do tumor.

- Anúncio -

“Após algumas discussões em equipe, entendemos que a lesão do paciente estava alojada próxima a área da fala e da compreensão da fala, bem como ao local onde está o controle de movimentos (motricidade direita). Sendo assim o ideal seria realizar a cirurgia com monitorização eletrofisiológica transoperatória com o paciente acordado. E assim fizemos. Para este procedimento, tivemos o apoio do médico neurocirurgião de Tubarão Dr. Franciel Linne que ficou durante toda cirurgia monitorando o paciente”, conta o neurocirurgião Dr. Carlos Fernando dos Santos Moreira (CRM I 15507/RQE I 12403).

De acordo com o especialista, para este tipo de procedimento, a monitorização é necessária, quando se faz procedimentos desta natureza, para que durante o processo, haja segurança para o paciente bem como para o médico, a fim de minimizar os riscos de sequela.

“O procedimento aconteceu sem intercorrências e o paciente não apresentou nenhum déficit neurológico. Quando situações acontecem desta forma, nos alegra muito, pois entendemos que de certa forma, conseguimos ajudar os pacientes”, aponta o especialista.

Participaram do procedimento os médicos neurocirurgiões, Dr Carlos Fernando dos Santos Moreira, Dr André Nesi e Dr Luiz Pedro Willimann Rogério.

Esta é a primeira vez que o serviço de neurocirurgia do HSJosé realiza um procedimento neurológico com paciente acordado via Sistema Único de Saúde.

O paciente passa bem e teve alta nesta segunda-feira (22) da entidade. Em dois meses, novos exames devem ser realizados para avaliar todo procedimento realizado.

Fonte: SulInFoco

Por: Deivis W. Fernandes / RCNoticia