Coletiva esclarece casos suspeitos de meningite

2

Foi convocada na manhã desta quarta-feira, 25, uma coletiva de imprensa para explicar os possíveis casos de meningite que alarmaram a população nesta semana, após dois óbitos de bebês que frequentavam o CEI Aníbal Maria Di França. No momento, nenhum dos dois casos foi confirmado como meningite, sendo que a confirmação se dará em dez dias após laudo do Lacen/SC, que é o Laboratório Central de Saúde Pública. Ao longo da semana, dez crianças passaram pelo Hospital Materno Infantil Santa Catarina (HMISC), duas delas vieram a óbito, duas seguem em observação no pronto socorro (estáveis) e as outras seis foram liberadas.

O secretário municipal de saúde do município, Acélio Casagrande, reforça que os casos serão esclarecidos em breve. “Todos os cuidados foram feitos, e nós vamos continuar fazendo isso na medida em que nós vamos também reforçar a nossa equipe ainda mais para esclarecer isso à comunidade”, comenta.

- Anúncio -

Todos os que tiveram contato com as crianças que estiveram sob suspeita de meningite, receberam uma medicação, a chamada quimioprofilaxia, que é uma medida de prevenção ou também serve para evitar o desenvolvimento da doença nos indivíduos infectados.

O diretor técnico do município, Ronald Benedet Barroso, explica que existem alguns tipos de meningite bacteriana. “Tem a A, B, C, W, Y, X, e a nossa cobertura vacinal é a da meningite C, que forma 70% dos casos. Todas as crianças vacinadas estão cobertas pela meningocócica C, aquelas pessoas que tiveram contato direto com essas crianças, têm que fazer a quimioprofilaxia”, comenta.

Vale ressaltar que todas as crianças que estão sob suspeita de meningite estavam vacinadas, a apenas após o laudo do Lacen é que se poderá ter uma explicação para esse contágio. As escolas CEI Maria Di França e também a Eliza Sampaio Rovaris serão higienizadas nesta semana e as aulas serão retomadas na próxima sexta-feira, 27.

Para o neuropediatra do HMISC, Eraldo Belarmino, o mais importante nesse momento é identificar as causas responsáveis por esses dois óbitos e tomar as medidas preventivas.

Fonte: 4Oito

Por: Deivis W. Fernandes / RCnoticia