Home Destaque Cinco municípios da região não registraram mortes por covid-19 em julho

Cinco municípios da região não registraram mortes por covid-19 em julho

Dos 295 municípios catarinenses, 97 não registraram nenhum óbito causado pela covid-19 em julho, de acordo com os dados da Secretaria de Estado da Saúde, notificados pelas gestões municipais. Na região, cinco cidades estão na lista: Armazém, Gravatal, Pedras Grandes, São Ludgero e Santa Rosa de Lima. É o maior número desde fevereiro, quando 122 cidades não registraram mortes.

Na avaliação do governador Carlos Moisés, a melhora gradual dos números da pandemia é resultado, principalmente, do avanço da vacinação. “Santa Catarina já aplicou a primeira dose da vacina em mais de 50% da população e está entre os cinco estados do Brasil mais avançados na imunização. Estamos trabalhando para garantir doses para todos os catarinenses”, ressalta.

- Advertisement -

Entre os municípios que não registraram óbitos em julho, os mais populosos são Santo Amaro da Imperatriz, Pinhalzinho, São Ludgero, Luiz Alves, Canelinha, Gravatal, São Carlos, Urubici, Cunha Porã e Coronel Freitas. No total, as 97 cidades somam aproximadamente 480 mil habitantes.

Até esta terça-feira (3), Santa Catarina tinha 1.116.810 de pacientes com teste positivo para a covid-19. Desses, 1.086.913 são considerados recuperados e 11.830 continuam em acompanhamento. O coronavírus causou 18.067 mortes no Estado.

Há um caso ativo a mais que no último boletim, e há 44 óbitos adicionais. O total de confirmados subiu 1.508, enquanto 1.463 pessoas passaram a se enquadrar nos critérios para serem consideradas recuperadas.

Cuidados devem ser mantidos

Os números relacionados à covid-19 em Santa Catarina, como óbitos e casos ativos, apresentam melhora consistente desde o pico, em março. Mesmo com a evolução, o governo do Estado destaca a importância de se manter os cuidados básicos para evitar o contágio. Entre eles, estão o uso de máscara, distanciamento entre as pessoas, ventilação dos ambientes e higienização constante das mãos.

Fonte: Sul Agora

Por: Deivis W. Fernandes / RCNoticia

- Anúncio -