Casos de chikungunya crescem 167% e idosos são a maioria das mortes por dengue em SC

10
Foto: Leo Munhoz/ND

Os casos de chikungunya cresceram 167% e as mortes por dengue em Santa Catarina chegaram a 60, em 2023, sendo 71% de idosos, conforme o boletim mais recente da Dive (Diretoria de Vigilância Epidemiológica).

Entre as vítimas, as idades variam de 10 a 105 anos. As mulheres representam o maior número, com 33 mortes registradas, contra 27 dos homens.

- Anúncio -

O caso mais recente aconteceu em 16 de maio: Alessandro César de Souza, de apenas 34 anos, estudante do curso de Engenharia de Aquicultura da UFSC (Universidade Federal de Santa Catarina).

Rosangela Nascimento, tia de Alessandro, disse que o jovem amava Florianópolis e que estava realizado em morar na cidade. Natural de Conchal, no interior de São Paulo, o estudante era conhecido pela família como um sonhador, apaixonado pela profissão.

“Ele era apaixonado pela vida. É até difícil de falar. Alessandro cresceu em uma cidadezinha do interior de São Paulo e sempre teve sonhos grandes”, relembra a tia.

A mãe de Alessandro, Ionice Marques, de 55 anos, pede para haver maior conscientização sobre o combate à doença. “Eu infelizmente estava longe dele, não pude fazer nada. Sempre cuidei quando morava comigo.”

Alessandro morreu no Hospital Celso Ramos, no Centro de Florianópolis. O corpo foi enterrado no interior de São Paulo. A UFSC chegou a divulgar uma nota de pesar sobre a morte do estudante, na qual se solidariza com a família e os amigos do estudante.

Idade das vítimas

O caso de morte por dengue mais jovem no Estado foi de uma menina de 10 anos, que morreu em Barra Velha, no Vale do Itajaí, em 24 de abril. Já o mais velho foi de um homem com 105 anos, em Coronel Freitas, no Oeste catarinense, cuja morte foi registrada em 27 de março.

As Secretarias Municipais de Saúde, com apoio da Secretaria de Estado da Saúde, investigam a causa de 10 óbitos, cujas vítimas podem ter contraído dengue.

Há ainda 40 casos de chikungunya confirmados, cujo vetor também é o mosquito Aedes aegypti.

44 mil focos do mosquito
O Estado registrou 44.527 focos do mosquito, que também é causador da zika e da febre amarela.

Ao todo, já são 57.369 pessoas confirmadas com dengue no Estado. Segundo a Dive, há ainda outros 57.027 casos que permanecem como suspeitos no sistema de notificação.

Dos confirmados, 46.140 são autóctones (com transmissão dentro do Estado) distribuídos em 125 municípios de Santa Catarina, sendo que 33 municípios atingiram o nível de epidemia.

A caracterização de epidemia ocorre pela relação entre o número de casos confirmados e de habitantes. A OMS (Organização Mundial da Saúde) define o nível de transmissão epidêmico quando a taxa de incidência é maior que 300 casos de dengue por 100 mil habitantes.

Em Florianópolis, há 8.110 casos confirmados da doença. Destes, 10 pessoas já morreram, a última delas foi Alessandro.

Foto: Leo Munhoz/ND

Fonte: ND+